Consultas: (48) 3433 5158
Siga-nos:

Deformidade da coluna vertebral

escoliose, cifose

Sobre deformidade da coluna vertebral

Escoliose

Aescoliose é uma curvatura anormal da coluna vertebral que podem ocorrer em qualquer faixa etária. A escoliose ocorre em crianças, adolescentes e adultos. Os sintomas variam com a idade de aparecimento e gravidade da curvatura; problemas cosméticos, desequilíbrio, dificuldade em respirar ou atraso no desenvolvimento são achados comuns em bebês e crianças pequenas. A corcova (corcunda) ou desequilíbrio na altura dos ombros tendem a ser comum no grupo de adolescentes. Dor intratável com localização nas costas, dor ciática, fraqueza nas pernas ou dormência e dificuldade de marcha são motivos mais comuns para a correção cirúrgica em adultos.

A escoliose infantil - ocorre em crianças com menos de 3 anos de idade e é mais comumente associado com outras doenças graves congênitas ou neurodegenerativas, como paralisia cerebral e mielomeningocele, entre outros. A cirurgia é por vezes necessária, mas muitas vezes técnicas não-operatórias são utilizadas para permitir o crescimento da coluna vertebral antes de um processo de fusão vertebral.

Escoliose juvenil - ocorre na faixa etária de 3 a 10 ano. Estas deformidades tendem a ser progressiva em mais da metade dos casos. Órtese é frequentemente utilizada como tratamento inicial até que a criança cresce suficientemente e atinge um tamanho, idade e corpo adequado para correção cirúrgica adequada. Nos casos mais graves, a cirurgia pode ser realizada antes da adolescência.

Escoliose Idiopática do Adolescente - é a forma mais comum de escoliose, que ocorre entre os 10 à 17 anos. Não há nenhuma causa identificável para esta doença, e isso varia muito nos sintomas, e severidade. As decisões de tratamento são baseados na gravidade da curvatura, e a progressão ou agravamento da curvatura. Esta condição normalmente não é dolorosa, salvo nos casos mais graves e não associado com déficits neurológicos, incluindo fraqueza ou dormência. A maioria destas condições ocorrerem na coluna vertebral torácica, abaixo do pescoço e acima da região lombar. A escoliose que foi estável durante a adolescência e vida adulta jovem pode piorar com o aparecimento de artrite degenerativa.

Escoliose degenerativa do adulto - é a forma mais comum de escoliose que surge na vida adulta, juntamente com o aparecimento de artrite degenerativa na coluna vertebral lombar. Esses pacientes não têm escoliose quando crianças. Ela piora com a idade e é frequentemente associada com dor e compressão dos nervos e de estenose espinhal.


Cifose

Acifose é vista quando o equilíbrio da coluna vertebral de uma pessoa mudou muito para a frente para permitir que a coluna “estabilize” efetivamente o peso do corpo, formando uma deformidade progressiva; como sintomas surgem a dor ou a perda da função neurológica .Os pacientes geralmente andam em uma postura para frente com o tronco flexionado ateriormente. Esta condição também pode ocorrer juntamente com escoliose causando Cifoescoliose.


Opções de tratamento

As recomendações de tratamento são feitas com base numa combinação da gravidade da curvatura da coluna vertebral, o impacto sobre a qualidade de vida do paciente, a sua idade e outras condições médicas. Em casos muito selecionados no mais jovem, a aparência estética é uma razão para a cirurgia. Em geral, o tratamento deve coincidir com a magnitude e os riscos dos sintomas.

Tonificante - Nas formas mais leves de deformidades da coluna vertebral, órtese pode ser uma opção para pacientes mais jovens, onde a coluna vertebral pode ser “guiada” a crescer reta. Os adultos podem obter algum alívio da dor com uma cinta, mas não vai corrigir a deformidade. Órtese pode causar alguns problemas como irritação da pele ou desuso muscular.

Fisioterapia - A base do tratamento é a flexibilidade e o reforço da coluna, que pode ser reforçada por Fisioterapia. Há muitas formas aceitáveis de fisioterapia, mas todos eles compartilham um componente ativo onde os exercícios de pacientes irão fortalecer a musculatura da coluna vertebral, melhorar a amplitude de movimentos e equilíbrio. Deve ser um processo ativo, e não simplesmente limitada a modalidades passivas como o calor, o gelo ou massagem.

Medicações (injeções) - A injeção de medicamentos de corticóide e similares podem oferecer alívio temporário. As injecções são frequentemente repetidas em três aplicações, e só pode ser seguramente administrado uma vez ou duas vezes por ano, por causa dos efeitos colaterais dos medicamentos.

Correção Cirúrgica - Antes de considerar a cirurgia, o paciente deveria ter tentado o tratamento fisioterápico e medicamentoso. A cirurgia deve ser considerada em pacientes cuja dor seja refratária, ou possuem sintomas neurológicos, incluindo fraqueza, dormência ou disfunção do intestino ou bexiga. Piora progressiva da curvatura é um motivo comum para a cirurgia, e é a razão que os pacientes são acompanhados com raios-x anuais. Curvas graves são instáveis e tendem a agravar-se, apesar de todos os esforços de tratamento não-cirúrgico; como uma árvore a cair, além de um certo ponto que não pode ser interrompido sem intervenção.


Tipos de cirurgia

Fusão posterior com a instrumentação da coluna vertebral é o procedimento mais comum para a correção da escoliose. Hastes de metal são ancoradas à vértebra com parafusos e ganchos (de titânio ou de aço), a fim de endireitar e prender a coluna vertebral no lugar. Se houver uma deformidade grave, é feito um corte no osso, osteotomia, para realinhar a coluna para uma orientação mais normal.

Fusões espinhal anterior, também são feitos para a correção da escoliose. Estes são geralmente os casos mais graves e são mais comumente realizadas juntamente com uma operação posterior.


Compartilhe esse artigo:

Dr. André Nesi

Neurocirurgião

Membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia e especialista em Neurocirurgia pela Associação Médica Brasileira.

Dr. Carlos F. S. Moreira

Neurocirurgião

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Pelotas e Residência em Neurocirurgia pelo Hospital Cristo Redentor, Porto Alegre, RS.

Siga nossas redes

Mais informações e consultas. Entre em contato. Localização e contato

Atendimento
  • Endereço: João Cechinel, 168 . Centro Médico São José . Conj. 207 . Centro . Criciúma . SC
  • Tel.: (48) 3433 5158 / 9662 6666
  • E-mail: consultas@neurosul.com.br
  • Segunda à sexta:
    8:00 am - 12:00 pm / 13:00 am - 18:00 pm
Comentários

© 2015. «Neurosul». Todos os direitos reservados.